05
abr
África, Comer

São Tomé e Príncipe e o melhor chocolate do mundo

Há muitos anos, precisamente em 1819, o primeiro pé de cacau foi plantado em uma ilha da costa africana, em um país que na época era a última escala de navios negreiros que vinham para o Brasil com os escravos que nosso país comercializava para a mão de obra nos nossos canaviais e minerações. Nesse vai e vem, saiu um pezinho de cacau do sul da Bahia e com sucesso foi plantado em São Tomé e Príncipe, país este que durante o Ciclo do Cacau se destacou como principal produtor deste fruto.

Cacau, todos sabem, é a principal matéria prima do chocolate. Em livro de biologia se chama Theobroma cacao e significa alimento dos deuses. Justo.

E falando de chocolate, São Tomé e Príncipe não fica atrás de país nenhum do mundo.

Em 1997 Claudio Corallo, um agrônomo italiano especialista em café, comprou um terreno abandonado em São Tomé e passou a produzir e aperfeiçoar o cacau local, produzindo chocolates com esmero. O resultado é, sem dúvida, o melhor chocolate do mundo, com gosto acentuado de cacau e várias combinações de sabores e aromas, que como um cientista, Claudio mistura e apresenta aos que o visitam às quintas-feiras, véspera da saída dos voos de São Tomé para Lisboa e Luanda.

IMG_0039
Claudio Corallo

A visita tem duração de 1 hora e é conduzida pelo próprio Claudio que explica em português, italiano e inglês todo o processo produtivo do cacau, e inclui degustação de seus chocolates, que podem ser comprados ao final (pagamentos em Dobras ou Euros). A única exigência é que se entre no gelado laboratório descalço.

IMG_0622

Claudio Corallo 2

IMG_0635

Claudio Corallo 3
As visitas são gratuitas e não precisam de reserva, mas recomenda-se ligar dois dias antes para confirmar a disponibilidade.

IMG_0631

IMG_0632

Claudio Corallo 5

IMG_0633

Claudio Corallo (1)

IMG_0037
Além de São Tomé, é possível encontrar seus chocolates em Lisboa, onde Claudio tem uma loja própria e café na Rua Cecílio de Sousa, 85 e também no Aeroporto de Lisboa.