22
jan
América do Sul, Experiência

Dicas essenciais de El Calafate

Para facilitar a vida dos leitores, resumimos nossa viagem em um post com informações sobre El Calafate, El Chaltén, Perito Moreno e uma parada estratégica em Buenos Aires.

Primeiro passo: não interessa se a sua companhia escolhida disse que é possível despachar a sua bagagem direto para El Calafate. Ao chegar em Buenos Aires, a sua escala para El Calafate, você terá que pegar a sua mala, passar em um novo Raio X e despachá-la para o destino final com 4 horas de antecedência mínima. Ou seja, se o seu vôo chegou em Buenos Aires 8 horas antes do embarque para El Calafate, você terá que passar esse tempo todo com a sua mala. Portanto, pense bem no peso da sua mochila ou na mobilidade da sua mala e considere este fator na sua programação na cidade, caso queira sair para passear. Se ficar no aeroporto tenha em mente que não há nada para se fazer, apenas tomar café espresso, ler La Nación e dormir no chão. Por conta das suas malas, você só entrará na sala de embarque duas horas antes do seu vôo.

Buenos Aires

Eu resolvi sair e fui ao Hotel Faena de taxi contratado com o Alejandro Canedo, o taxista mais confiável de Buenos Aires. Pode buscar no Google: o Alejandro é realmente o melhor. Pontual, honesto e com a melhor conversão de dólar para peso que existe no mercado! O contato dele é aleecareca@gmail.com. Entre em contato com ele por e-mail para passar os detalhes da sua chegada a Buenos Aires (quantidade de pessoas, número do vôo e destino do taxi) e ele ou alguém de sua equipe estará de esperando no aeroporto, seja Ezeiza ou Aeroparque. Fui do Aeroparque para o Faena por 40 reais para três passageiros (ele aceita reais como pagamento) e troquei dólares a 8,7 pesos, bem acima da cotação oficial. Além disto o Alejandro ensina a verificar notas falsas, tanto de peso quanto dólar. Muito profissional.

Cheguei em Buenos Aires em uma sexta-feira, e fui ao Faena porque sabia que havia um show bem interessante no bar da piscina. A consumação mínima é de 200 pesos, pagos em cartão ou dinheiro, dólares ou pesos, e deixamos as malas na própria recepção do hotel, sem nenhum problema ou custo adicional (só o da gorjeta, claro).

Informação importante: uma vez em Buenos Aires, aproveite para trocar seus dólares com o Alejandro. Em El Calafate a cotação segue o mesmo padrão, de 6,5 a 7,5. Geralmente os lugares aceitam muito bem cartão de crédito, mas se houver qualquer problema de comunicação com internet ou telefone, a cidade inteira fica ilhada, e inclusive pode complicar na hora de reservar os passeios. Por isso recomendo que se leve pesos argentinos também, mas apenas se for trocado em Buenos Aires, senão não vale a pena. Eu tive problemas para reservar um dos passeios porque a internet na cidade havia caído por um dia inteiro e tive que voltar a cidade no dia seguinte para acertar todos os detalhes. Ou seja, fiquei um dia sem fazer nada por lá.

Chegando em El Calafate, recomendo o transfer Vespatagônia. Para hotéis mais distantes do centro custa 70 pesos por pessoa, e para hotéis no centro, 60. O pagamento pode ser feito em cartão de crédito ou em espécie, e recomendo a reserva pelo site. Eles garantem o atendimento a todos os passageiros, mas se você já tiver a reserva, tem prioridade no embarque da van. Há descontos para pagamento de ida e volta.

El Calafate El Calafate

Se seus planos na Patagônia consistem em trekking e caminhadas pelo gelo, do básico ao intermediário, aqui está a lista de itens essenciais para a sua viagem:

Mochila pequena, de preferência impermeável ou resistente à água

Tênis de trekking ou bota de trekking. Deixe seus tênis de academia ou All Star em casa, se não quiser passar raiva.

Argentina_Dia 04_El Calafate e Perito Moreno com trekking no gelo (111)-2

Lancheira que caiba na mochila (eu carrego esta aqui para cima e para baixo com barrinhas de cereais, frutas e água). A minha eu comprei na Columbia.

El Calafate El Calafate

Dinheiro trocado em pesos (a entrada em Perito Moreno custa 90 pesos argentinos e não aceita cartão)

Meias confortáveis. Existe tecnologia para meias também. Não use nenhuma que custe menos de 10 reais (isso é mais importante que o próprio tênis, vá por mim).

Casaco. Mas, ATENÇÃO, casaco para esporte resistente a água e a vento! Se não o tiver, há diversas lojas na cidade como Columbia e revendedoras de Nexxt, The North Face, Timberland e Mammut para você preparar o seu enxoval do esportista de inverno. Os preços são razoáveis.

Luvas. Depois das meias, o item mais importante. Recomendo luvas de ski (também estão à venda nas lojas da cidade).

Calça de ski. Não é obrigatório, mas eu recomendo porque também segura o vento e o frio das geleiras. Dá para ir de calça jeans.

Gorro ou aquelas faixas de cabeça de esquiador. A não ser que você queira parecer um motoqueiro que veio do Atacama para cá, e nunca mais queira desembaraçar o seus cabelos. Eu mesma fiquei dois dias com dreadlocks involuntários por conta do vendaval. Meu cabelo basicamente ficou assim:

Puerto Natales

Sobre Perito Moreno:

Assim que chegar a El Calafate, procure a Hielo y Aventura, no centro da cidade, e feche seu pacote em dólares. Foi lá que consegui a melhor conversão de pesos para dólares, depois do Alejandro: 1 para 10. O passeio de um dia inteiro para Perito Moreno de ônibus, 10 minutos de barco e o trekking no gelo custou 80 dólares. É o mais barato da cidade e não pecam em nada! E por este preço buscam e deixam no hotel.

Este é o único momento que você precisará de luvas, porque venta DE VERDADE, é frio e se você fizer o trekking no gelo, é obrigado a tê-las por questão de segurança.

Todos irão dizer que não há o que comer em Perito Moreno mas não é verdade. Existe uma lanchonete lá no parque, bem mais barata que o preço dos lanchinhos que os hotéis vendem para quem sai para esses passeios. Não testei os produtos, mas tirei foto do cardápio. Lanches prontos dos hotéis custam em torno de 100 pesos. E há, também, um supermercado La Anónima na cidade.

Argentina_Dia 04_El Calafate e Perito Moreno com trekking no gelo (8)-2 Argentina_Dia 04_El Calafate e Perito Moreno com trekking no gelo (9)-2

O segundo passeio que você pode querer fazer é visitar El Chaltén. Recomendo porque achei a cidade um charme, mas não recomendo o meu passeio, apenas a empresa que escolhi: Viva Patagonia!, ao lado do cassino, também no centro da cidade. Não recomendo o meu passeio porque escolhi o Full Day em El Chaltén, que fica distante uns 220 km de El Calafate (ou seja, toma um tempo de ida e volta), e na chegada, nos levam para um lugar mais distante para almoçar e depois para um passeio de barco de duas horas para ver o Glaciar Viedma. É bem menor que Perito Moreno, mas muito bonito, só que não acho que valha a pena passar tanto tempo dentro de uma van para o almoço (40 minutos por trecho) e em um barco mais 2 horas. Este passeio me custou 890 pesos, e por mais 300 pesos, faria quase o mesmo tour, com a mesma empresa, tirando o almoço na fazenda longe (que apelidamos de Crystal Lake) para fazer um trekking no gelo um pouco mais hardcore que o Perito Moreno. Acho que vale mais a pena porque também inclui a parte do barco por ser caminho para o trekking. Tirando isso, recomendo a empresa, que dá total apoio e uns lanchinhos no barco e no ônibus (água, café e alfajor), e também leva e busca ao hotel. Eu gostaria de ter ficado mais na cidade porque ela é realmente uma graça.

Argentina_Dia 05_El Chaltén e Glaciar Viedma (13)

Em El Calafate fiquei no Hotel Design Suites e AMEI! Custa 150 dólares por noite (quarto duplo) com café da manhã, piscina aquecida e uma vista para o Lago Argentino de chorar. Como ele fica mais distante da cidade, disponibiliza transporte gratuito para a cidade a partir das 18h00 e retorno para o hotel por hora a partir de 18h15, até às 22h15.

Argentina_Dia 02_El Calafate

Estes foram os únicos passeios que fiz na cidade, e vi que há algumas outras opções como ir ao Ushuaia de ônibus (imagino que não seja ida e volta no mesmo dia), rafting, tirolesa, estâncias para andar a cavalo e ida e volta a Torres Del Paine. Este último não fiz porque minha viagem seguia para o Chile, Puerto Natales, mas depois descobri que é mais fácil e até melhor ir de El Calafate para lá porque: 1) não tem muito o que se fazer em Puerto Natales 2) o Chile é mais caro que a Argentina e 3) em Torres Del Paine você tem três opções: Full Day Tour (do Chile custa 50 dólares por pessoa mais a entrada do Parque, 32 dólares), o circuito W de 5 dias e o circuito O de 14 dias. Então, em qualquer uma das opções, é melhor sair e voltar para a Argentina.

Se mesmo assim você ainda quiser ir para Puerto Natales, verifique a disponibilidade dos transportes públicos para lá. O Buses Pacheco tem os horários disponíveis no site mas estão desatualizados e eles não respondem a e-mails quando enviados pelo site (mas te dou outra dica: mande um email para o pacheconatales@gmail.com que eles respondem na hora e ainda reservam o seu assento) e não funcionam em feriados nacionais. Como reservei os hotéis e deixei para ver os transportes depois, não consegui transporte nenhum para o dia 25 de dezembro, e tive que contratar um traslado particular para Puerto Natales por 390 dólares para 3 pessoas.

  • Diego Albuquerque

    Pessoal, muito legais as dicas de vocês. Primeira pergunta: Vocês optaram por levar Dolar ? Pq não levaram Real mesmo ? Acaba que usando dolar você tem que fazer duas conversões. Aqui e lá.

    • Janela ou Corredor

      Oi Diego!
      Levamos dólares e um pouco de real. A vantagem do dólar é que na Argentina ele está muito valorizado, e acaba compensando mais do que levar outras moedas. Não sou de levar muito dinheiro em espécie, mas no caso da Argentina vale a pena por conta da valorização (a conversão oficial é 6,47 e a “azul”, 8 ou 9).

    • Thaísa

      Oi Diego!
      Levamos dólares e um pouco de real. A vantagem do dólar é que na Argentina ele está muito valorizado, e acaba compensando mais do que levar outras moedas. Não sou de levar muito dinheiro em espécie, mas no caso da Argentina vale a pena por conta da valorização (a conversão oficial é 6,47 e a “azul”, 8 ou 9).

  • Patricia

    Olá! Muito legal o relato! Parabéns!
    Estou indo para El Calafate e El Chaltén em abril. Você saberia me dizer se a Viva Patagônia também aceita pagamento em dólar? O câmbio deles é tão vantajoso como da Hielo y Aventura?
    Patrícia.

    • Janela ou Corredor

      Oi Patrícia!
      O melhor câmbio da cidade é, de fato da Hielo, mas o da Viva não é dos piores. Eles aceitam dólar e cartão.
      Aproveite sua viagem!

  • Nádia Maria Elias

    Olá, adorei o relato. Parabéns!
    Queria saber se vocês acham necessário alugar um carro em El Calafate para 2 dias de viagem no inverno?
    É melhor ficar no centro ou é tranquilo ficar em hotéis mais afastados?

    Obrigada!

  • Cintia Gomes

    Olá, qual o nome doOlá, qual o nome do Passeio que você se arrependeu de não ter feito em El Chalten com a Viva Patagonia. Obrigada. Passeio que você se arrependeu de não ter feito em El Chalten com a Viva Patagonia. Obrigada.

    • Janela ou Corredor

      Oi Cintia! O passeio é o da Cueva del Milodón! Não recomendo porque é uma caverna sem graça demais.
      Um abraço!

    • Oi Cintia! O passeio é o da Cueva del Milodón! Não recomendo porque é uma caverna sem graça demais.
      Um abraço!